Você quer ser um chefe ou um líder?

Em tempos de instabilidade econômica, muitos profissionais que ocupam cargos de liderança têm se perguntado que iniciativas devem tomar para atuar de forma mais ativa e eficaz nesse cenário. Muitos querem saber se, de fato, estão Diferença-entre-lider-e-chefesendo apenas chefes com bom desempenho ou se estão atuando como líderes eficientes para impulsionar suas empresas rumo à superação da crise.

Fazer frente aos novos desafios organizacionais não tem sido tarefa fácil para ninguém, mas uma coisa é certa: gestores que possuam competências de liderança desenvolvidas passam a ser determinantes para o sucesso das empresas neste momento. Líderes – e não chefes – compreendem que para a conquista de resultados é essencial saber lidar com maestria com seus subordinados, conduzindo e inspirando continuamente o time em prol dos objetivos da organização.

O êxito do líder deve-se em boa parte às metas que ele propõe e ao estímulo que ele oferece para a concretização delas. Quanto mais ampla a visão do líder, mais longe o time poderá chegar – isso porque os desafios superados elevam a confiança dos envolvidos e os mantêm conectados ao desempenho da empresa como um todo.

Por esse motivo, é importante entender quais características incidem na percepção de cada perfil, e quais são as consequências que esses aspectos acabam trazendo para você, para seu time e para sua empresa. Conheça agora alguns fatores que diferenciam a atuação de um chefe e a de um líder:

Você centraliza? 

Dar ordens restritas e com tantas especificações que só você mesmo pode realizar, ou não reservar tempo para passar instruções que permitam que sua equipe possa realizar as tarefas solicitadas, é prejudicial para os resultados. Dessa forma, toda responsabilidade fica centralizada no chefe, o que o impede de acompanhar a equipe, perdendo a oportunidade de desenvolver sua liderança, bem como as competências táticas e técnicas de seus colaboradores. Tal modelo de liderança faz com que todos os resultados fiquem centralizados em uma pessoa só. Sendo assim, a equipe pode se sentir desmotivada, o que é prejudicial tanto para o desenvolvimento do time quanto para os objetivos da empresa.

Você delega?

Delegar tarefas é a maneira mais adequada para coordenar, gerenciar ou direcionar projetos. Esse é um verdadeiro modelo de liderança, pois acompanha todo o processo de seus subordinados, vendo quais são seus pontos a serem melhorados, orientando no que é preciso e os apoiando para que possam compartilhar as responsabilidades, bem como os méritos pelos resultados. Propiciando esse tipo de ambiente, o time estará confortável para interagir com seu líder e a sintonia entre os demais é plena, de modo que as tarefas são executadas da maneira mais qualificada possível.

Portanto, podemos dizer que quando um líder desempenha seu papel com eficiência ele percebe sinais e age de forma rápida e decisiva, antecipando-se às mudanças, minimizando os riscos potenciais e otimizando as oportunidades que estão no bojo das grandes transformações globais. É assim que os desafios dão origem às oportunidades. E é assim que o líder passa a atuar num nível muito mais avançado e eficaz de liderança, o único capaz de torná-lo um protagonista à altura de um cenário pleno de desafios. Eu defino líderes desse nível como líderes coach, pois são capazes de alavancar o potencial e elevar a performance do capital humano de uma organização.

Fonte: https://www.rh.com.br/Portal/Lideranca/Artigo/10440/voce-quer-ser-um-chefe-ou-um-lider.html

Projeto RH GOLIN

Amanda S.C. Fernandes – Gerência RH
Luciana Germano – Conteúdo Institucional
Márcia Borlenghi – Design, revisão e curadoria conteúdo cultural

chefe, lider, liderança

Posts Relacionados