O problema que não queremos enxergar

Não concordo com as ideias que expressas, mas daria de bom grado a vida para defender teu direito de expressa-las. ”
Voltaire.

Com a frase acima do escritor e filosofo Voltaire, venho mostrar o quão importante é o direito de expressar seus pensamentos.

Por diversos aspectos fomos podados de ter uma formação educacional plena, sem direcionamento ideológico. Generalizando e discutindo assuntos superficialmente, sem aprofundar-se nas causas e nos efeitos consequentes.

Sendo assim, o termo “politicamente correto” ganha força nas narrativas das discussões na sociedade.

Vivemos numa democracia, onde todos temos nossos direitos, mas também, temos os nossos deveres como cidadão. A responsabilidade dos nossos atos, reflete automaticamente na nossa sociedade. Então em vez de problematizar tudo, devemos argumentar todo e qualquer assunto, com fatos.

Nossa opinião é muito importante, pois, externa nossos pensamentos e desejos, mas isso é uma coisa muito pessoal, nem tudo que achamos bom para si, é bom para o outro. E para resolvermos estas questões usamos a democracia, o voto em especifico, onde a vontade da maioria que prevalece.

“Contra fatos não a argumentos” já dizia o velho poeta, mas o fato é que vivemos numa sociedade em que tudo é motivo de problematização, mas o problema (fato) fica em segundo plano, não é discutido e nem resolvido. Ao invés de enfeitarmos o pavão, vamos agir nas causas raízes e indicarmos soluções.

Devemos lutar por uma base boa na educação, uma escola sem partido. Onde respeita o indivíduo e suas crenças, respeita a integridade da família e não generalize ou minimize nossa cultura. Sim, temos cultura, temos um legado de pessoas boas na nossa história, pessoas que lutaram e deram a vida, para estarmos aqui hoje.

Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas
Trecho do livro ‘O Pequeno Príncipe’.

Sejamos semeadores e cultivadores de coisas boas, para num futuro próximo, podermos colher os mais belos frutos que já vimos.

Por Wilke Souza
Colaborador do Departamento Comercial

Opnião, pensar filosófico, Wilke Souza

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.