Dia Mundial da Água

Esta data internacional foi criada em 1992, visando alertar a população sobre a importância da preservação da água para a manutenção de todos os ecossistemas no planeta.

Para isso, todos os anos o Dia Mundial da Água aborda um tema específico sobre este recurso natural de absoluta importância para a existência da vida.

Nos dias 22 a 24 de março de 2023, em Nova York, está agendada uma Conferência das Nações Unidas sobre a Água. Foram escolhidos cinco temas de debate para esse evento: Água para a Saúde, Água para o Desenvolvimento, Água para o Clima, Resiliência e Meio Ambiente, Água para a Cooperação, e Água na Década para a Ação.

Nos últimos anos os temas escolhidos foram:

  • 2022: “Águas subterrâneas: Tornando o invisível visível”
  • 2021: “Valorizando a água”
  • 2020: “Água e mudanças climáticas”
  • 2019: “Não deixar ninguém para trás”
  • 2018: “Soluções Naturais para problemas hídricos”

A conscientização sobre a urgência da economia deste recurso natural é uma das principais metas desse dia.

A água limpa e potável é um direito humano garantido por lei desde 2010, de acordo com a ONU – Organização das Nações Unidas.

Origem do Dia Mundial da Água

O Dia Mundial da Água foi instituído pela ONU através da resolução A/RES/47/193, de 21 de fevereiro de 1992. Conforme a resolução, o dia 22 de março é a data oficial para comemorar e realizar atividades de reflexão sobre o significado da água para a vida na Terra.

Neste mesmo dia, a ONU lançou a Declaração Universal dos Direitos da Água, que apresenta entre as principais normas:

  1. A água faz parte do patrimônio do planeta;
  2. A água é a seiva do nosso planeta;
  3. Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados;
  4. O equilíbrio e o futuro de nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos;
  5. A água não é somente herança de nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores;
  6. A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo;
  7. A água não deve ser desperdiçada nem poluída, nem envenenada;
  8. A utilização da água implica respeito à lei;
  9. A gestão da água impõe um equilíbrio entre os imperativos de sua proteção e as necessidades de ordem econômica, sanitária e social;
  10. O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra.

A importância da água e a necessidade de preservá-la

A água é essencial para vivermos e termos saúde. De acordo com a ONU, cerca de 80% das mortes e doenças está relacionada ao consumo de água não tratada.

Apesar de parecer um recurso inesgotável – a maior parte do nosso planeta é constituído de água -, ela está acabando.

Isso se explica por vários motivos, por exemplo:

  • apenas cerca de 2,7% da água que existe pode ser consumida, porque a grande parte dela é salgada;
  • a população está aumentando cada vez mais;
  • grande parte da água é imprópria para consumo em decorrência da poluição.

Acresce que, de toda a água doce disponível no planeta para consumo, 60% da água é utilizada na agricultura, enquanto apenas 9% é utilizada nas nossas casas.

No caso do Brasil, é importante lembrarmos, ainda, que cerca de 90% da energia elétrica é produzida pela força da água, nas usinas hidrelétricas.

O Brasil tem a maior reserva de água doce do mundo. Mas, de acordo com a ONU, cerca de 2,6 bilhões de pessoas no mundo têm pouquíssima água disponível.

O Kuwait, por exemplo, é um país muito rico em petróleo, mas tem uma grande carência de água e, assim, precisa importá-la de outros países.

Há países onde a água é disputada. Isso acontece em decorrência da exploração de rios localizados em territórios diferentes. É o caso de Israel, Líbano e Jordânia, que lutam pela Colinas de Golã, onde está localizada a nascente do rio Jordão.

O rio Nilo, o maior do mundo, motiva a briga entre o Egito, Sudão, Etiópia e ainda outros países. Neste caso, há países exigindo a partilha do rio, cujo monopólio pertence ao Egito e ao Sudão. A Etiópia, construiu uma enorme barragem e entrou na disputa exigindo acesso às águas do rio Nilo.

Por tudo isso, garantir que todos tivessem acesso à água, bem como conscientizar a população sobre a sua preservação, deveria ser um compromisso de todos os Estados.

Fonte: https://www.calendarr.com/brasil/dia-mundial-da-agua/

Projeto RH GOLIN

Amanda S.C. Fernandes – Gerência RH
Luciana Germano – Conteúdo Institucional
Márcia Borlenghi – Design, revisão e curadoria conteúdo cultural

Posts Relacionados

Nenhum resultado encontrado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.