Como estar atento aos filtros e tornar o ambiente de trabalho saudável

“Imagine que vocês acabaram de receber uma informação negativa a meu respeito, pouco antes desta palestra. Talvez quem lhes deu essa informação ouviu rumores a meu respeito, rumores de que eu sou incompetente, de que eu sou mentiroso, de que gosto de me gabar, de que uso roupa íntima feminina… (Risos)
Quanto vocês acham que isso influenciaria a imagem que vocês teriam de mim agora?

Como psicoterapeuta, trabalhando com saúde ocupacional, conheci inúmeros funcionários e gestores que estão sofrendo por conta de um ambiente de trabalho tóxico e prejudicial. Estão com problemas porque não sabem como mudar esse ambiente. “ (…)

É hora de lembrar de uma matéria que postamos há quatro anos atrás, durante uma campanha que realizamos na empresa “Aqui não tem maledicência!”.
Junto com a campanha, postamos duas matérias qua vamos relembrar. O trecho acima é da palestra “Como começar a mudar ambientes de trabalho prejudiciais | Glenn D. Rolfsen | TEDxOslo”. No post há link para o vídeo e para a transcrição da palestra. Vale a pena rever.

E complementando a matéria sobre combater a maledicência, ou a fofoca que tanto prejudica o ambiente de trabalho, falamos do filtro triplo de Sócrates (que também tem no post link para o vídeo), e que diz o seguinte:

Os três filtros de Sócrates: verdade, bondade e utilidade.
Certa vez, um homem esbaforido chegou-se a Sócrates e sussurrou-lhe aos ouvidos:
— Escuta, sendo eu seu amigo, tenho alguma coisa muito grave para dizer-te…

— Espera!… conteve o sábio prudente. Já passaste o que me vais dizer pelos três filtros?
—Três filtros?! – perguntou o visitante, espantado.
— Sim, meu caro amigo, três filtros. Observemos se o que você quer me contar passou por eles. O primeiro, é o filtro da verdade. Você tem absoluta certeza, quanto àquilo que pretendes me comunicar?
— Bem – pensou o amigo – assegurar mesmo mesmo, não posso… mas ouvi dizer e… então…
—Exato, então você não sabe se é verdade. Agora vamos peneirar o assunto pelo segundo filtro, o da bondade. Ainda que não seja real o que julgas saber, será pelo menos é bom o que queres me contar?
Hesitando, o homem replicou:
— Isso não!… Muito pelo contrário…
— Ah! – tornou o sábio – então recorramos ao terceiro filtro: o da utilidade, e notemos o proveito do que tanto te aflige.
– Útil?!… – questionou o visitante ainda agitado.
– Útil não é…
— Bem – rematou o filósofo – se o que tens a falar não é verdadeiro, nem bom e nem útil, esqueçamos o problema e não te preocupes com ele, já que nada valem casos que não são benéficos ou proveitosos para nós.

Em resumo, ambiente saudável, trabalho em equipe campeão!

Veja um exemplo de um bom trabalho em equipe.

Projeto RH GOLIN

Amanda S.C. Fernandes – Gerência RH
Luciana Germano – Conteúdo Institucional
Márcia Borlenghi – Design, revisão e curadoria conteúdo cultural

Posts Relacionados

Nenhum resultado encontrado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.